Amor silvestre


 

Elaborado sabor silvestre 

Da saliva salgada do tamanduá 

Outrora beijasse a piraputanga 

E o amor acontecera 

 

Tão ávidos sussurros de ternura 

E límpidas águas onde se banhara 

Pelos e escamas 

Patas e nadadeiras 

 

O sangue quente se juntara ao frio 

Como massas de ar 

Trovejavam 

Caos e calmaria 

 

Cortinas cachoeiras sem sal 

Calcárias pedras que rolavam 

Em breves trocas de olhares 

Distintas espécies se amavam 

 

Entre enchentes e secas 

Buritis e aguapés

Perdurava surreal sabor de vida 

Era mel agridoce tom de oliva 

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: